Porque você deve limpar a sua base de E-Mails agora mesmo.

Porque você deve limpar a sua base de E-Mails agora mesmo.

Há quase 10 anos atrás, quando a Sigu sequer existia, eu trabalhava em uma das primeiras agências de Marketing de Guerrilha de Salvador: a saudosa Vetora. 

Certa vez - acreditando que uma mídia precisava sempre ter impacto, ousadia e gerar buzz - enviamos pintinhos vivos para diversas agências da cidade (causando um verdadeiro caos publicitário, digno de revoltar advogados paulistas e receber elogios de diversos portais publicitários de peso). Os detalhes dessa história ficam para outro dia, mas o importante aqui era que, no início dos anos 2000, eu escutava bastante lá dentro que "E-Mail Marketing era uma mídia ruim, sem retorno e que incomodava muita gente". 
 
O problema era que, o que chamávamos de "E-Mail Marketing" a 10, 15 anos atrás, hoje conhecemos como spam (que, de fato, é uma mídia ruim, sem retorno e incomodativa). O E-Mail Marketing, quando feito da forma correta, é uma das melhores ferramentas de relacionamento e fidelização que você pode ter a disposição da sua empresa.  
 
A razão pela qual eu escrevo este post, é que ainda hoje, muitos clientes nos procuram, relatando uma frustração muito grande com seus resultados prévios com o E-Mail Marketing.
 
É muito normal ficarmos sabendo de taxas de abertura inferiores a 2%, altas taxas de descadastramento na base de e-mails e uma descrença muito grande, em relação ao potencial dessa ferramenta. 
 
O segredo nessas horas é repensar a sua estratégia e acreditar no seguinte ponto: E-Mail Marketing funciona e muito! Muitas vezes, o problema pode estar escondido em uma estratégia de conteúdo desinteressante, que não converte e nem engaja a sua base de e-mails.
 
 
Entretanto, muitas vezes o problema está na sua base de e-mails, ou melhor, na qualidade dela.Talvez ela seja extremamente antiga (repleta de e-mails desativados), oriunda da junção de diversos outros mailings não tratados e até mesmo comprada de algum lugar. 
 
Dica de ouro: NUNCA. COMPRE. LISTAS. DE. E-MAIL. Entenda o motivo aqui.
 
Se a sua base de e-mails é comprada, ou muito antiga e volumosa (ou mesmo um agregado de diversos mailings sem tratamento), é extremamente necessário que você limpe esta base o quanto antes. 
 
Eis 7 razões importantes pelas quais você precisa fazer isso, se possível, ainda hoje. 
 

7 Razões para limpar sua lista de E-mail e melhorar seus resultados com E-Mail Marketing

 
- 1. Reputação: Acredite. Você tem uma reputação a zelar, no que se refere a E-Mail Marketing. Provedores de E-Mail e serviços de internet, qualificam as suas mensagens baseadas na reputação do seu IP de envio. 
 
Se sua base está suja, provavelmente você sempre estará enviando e-mails para endereços inválidos, que desconhecem a sua empresa ou que solicitam descadastramento. Se este é o caso, essa reputação irá ser duramente impactada e seus disparos irão ser enviados diretamente para a caixa de spam de seus alvos. 
 
- 2. Lista Negra: Se a sua reputação for muito, mas muito ruim, todos os seus disparos podem ser simplesmente bloqueados e nunca chegarem aos seus alvos. É normal ferramentas de disparo de e-mails profissionais (como MailChimp), suspenderem um disparo inteiro de E-Mail Marketing, baseados em uma lista repleta de e-mails quebrados e inválidos.
 
- 3. Custo: A lógica é simples. Muitas ferramentas de E-Mail Marketing cobram por disparos ou por quantidades de alvos na base. Se 40% da sua base é suja, 40% do seu custo de disparo ou de manutenção de base está sendo pago para nada. Limpar sua lista de e-mail reduz o custo de suas ações de E-Mail Marketing. 

- 4. Oportunidade: Quando você identifica que 30% da sua base de e-mails nunca abriu ou retornou nenhum de seus disparos, você pode pensar na oportunidade de realizar um disparo apenas para essa base, com um conteúdo/oferta exclusiva, focado neste comportamento 
 
Um título segmentado, do tipo: "Olá, Vitor. Sabemos que você nunca abriu nossos e-mails, poderia abrir só esse?", certamente iria pegar seu alvo de surpresa (como eles sabem disso?) e recuperar parte de sua base com um esforço pequeno e pontual.

- 5. Relacionamento: Tendo uma lista limpa, você sabe que todos os seus alvos são ativos e possuem uma grande chance de estabelecer um relacionamento com a sua empresa, respondendo mensagens e clicando nos CTAs de seu conteúdo.
 
- 6. Relatórios: Uma vez que você está focado mais na qualidade do que na quantidade de sua lista, seus relatórios serão muito mais precisos em relação a taxas de abertura e cliques. 
 
Explico: Se antes você não sabia de 50% de seus e-mails não foram abertos por conta de e-mails inativos, caixa de spam ou desinteresse, agora você pode descartar algumas dessas hipóteses e qualificar com muito mais propriedade as razões pelas quais seus disparos deram certo ou errado. 
 
- 7. R.O.I.: Se sua base está mais limpa, a sua reputação será melhor. Se a sua reputação é boa, mais e-mails são entregues em disparos. Se mais pessoas estão recebendo seus e-mails sem cair na caixa de spam, maior é a sua possibilidade de retorno em cima de suas ações de E-Mail Marketing. 
 
 
Manter a saúde da sua base de e-mails é a chave de uma campanha de E-Mail Marketing bem sucedida. Com uma base limpa, adquirida de forma correta e bem trabalhada, não existem motivos para que você não colha enormes resultados através dessa ferramenta, no dia-a-dia de sua empresa!
 
Acredite. Um bom e-mail marketing pode não fazer tanto barulho quanto uma caixa de pintinhos vivos em agências de publicidade, mas certamente lhe trarão muito mais resultado (e muito menos dor de cabeça). Até a próxima!
 

Você sabia que a Sigu pode ajudar a sua empresa a ter mais e melhores resultados com a internet?

Solicite uma proposta



Autor:

Atua na área de Design, voltada para publicidade e marketing desde 2005, tendo seu foco voltado nos 6 últimos anos para a área de Internet, Websites e mídias sociais. Sócio e Diretor de Criação e Mídias Sociais da Sigu Marketing Digital, desenvolvendo interfaces gráficas e estratégias de comunicação integradas para internet e gestão de redes sociais. 

Comentários: